Saiba mais sobre epilepsia

Conheça os tipos de crise epiléptica e como ocorrem

Saiba mais sobre epilepsia
POR MAGALI BALLOTI

Dados da Organização Mundial da Saúde apontam que a epilepsia afeta aproximadamente 50 milhões de pessoas no mundo. Estima-se que mais de 8 milhões de pessoas sofram com essa condição somente na América Latina1 e no Brasil esse número chega a cerca de 2,5 milhões de pessoas2. E mais: segundo a Organização Pan-Americana de Saúde, mais da metade desses pacientes não estão em tratamento1. Mas você sabe o que é epilepsia?

A epilepsia é uma condição neurológica causada por crises epilépticas recorrentes, que ocorrem graças a breves perturbações nas funções elétricas cerebrais. Chamadas também de crises ou ataques, elas acontecem quando há uma súbita interrupção na forma como o cérebro trabalha. As crises de epilepsia são divididas em grupos, dependendo da região em que as mesmas ocorrem no cérebro, da consciência (se foi afetada ou não) e de outros sintomas envolvidos.1, 4

Tipos de crises e como ocorrem

Vamos entender quais são os tipos de crises de epilepsia? As crises focais ou parciais ocorrem quando a atividade está limitada a uma parte do hemisfério cerebral. Entre elas, há dois tipos: a crise focal consciente, reconhecida como um simples ataque parcial (perceptiva); e crise focal com consciência comprometida, em que a pessoa tem percepção afetada e pode ficar confusa (crise desperceptiva). A crise pode se espalhar para os dois hemisférios (a crise torna-se generalizada, em geral com convulsões tônico-clônicas).5

As crises epilépticas também influenciam o nível de consciência da vítima durante a crise. A crise generalizada ocorre quando há dissipação da atividade do ataque nos dois lados do cérebro. Entre os diferentes tipos de ataque generalizado, estão: crise de ausência (breves lapsos de atenção), crise tônico-clônica ou convulsiva (abalos musculares generalizados, salivação excessiva, a pessoa pode morder a língua e perder urina e fezes), crise atônica (perda da rigidez muscular e quedas), crise clônica (abalos rítmicos de cabeça e membros), crise tônica (perda da consciência, rigidez muscular, quedas) e crise mioclônica (contração muscular brusca). Após a ocorrência de uma dessas crises é recomendável que a pessoa descanse.3, 5

Embora possa atingir pessoas de qualquer idade, a doença é normalmente diagnosticada em durante a adolescência, início da vida adulta e após os 60 anos.6 Algumas das causas da epilepsia são dificuldades durante o nascimento/parto, infecções ou acidentes. O acidente vascular cerebral é a causa mais comum de epilepsia em adultos com mais de 35 anos.7

A epilepsia possui implicações econômicas significativas em termos de necessidade de cuidados de saúde, morte precoce e perda da produtividade no trabalho. Embora os efeitos sociais variem de país para país, a discriminação e o estigma social que rodeiam a epilepsia mundialmente são frequentes e mais difíceis de superar que as próprias crises epilépticas. As pessoas com a doença podem ser alvo de preconceito, o que pode desencorajá-las a buscar o diagnóstico correto, procurar um tratamento adequado para os sintomas, podendo prejudicar as perspectivas futuras do paciente.8

RELATED ARTICLE
Raio x da epilepsia

Referências

1 Jornal da USP – Epilepsia é um problema de saúde pública. Website acessado em março 2022. Disponível em: https://jornal.usp.br/atualidades/epilepsia-e-um-problema-de-saude-publica/

2Hospital Moinhos de Vento – Epilepsia: limites e avanços. Website acessado em março 2022. Disponível em: https://www.hospitalmoinhos.org.br/institucional/blogsaudeevoce/epilepsia-limites-e-avancos

3Associação Brasileira de Epilepsia – Tudo sobre epilepsia. Website acessado em abril 2022. https://epilepsiabrasil.org.br/duvidas-frequentes

4Liga Brasileira de Epilepsia. O que é epilepsia. Website acessado em abril 2022. Disponível em: https://www.epilepsia.org.br/o-que-e

5Epilepsy Ontario. Spark: Epilepsy Information Series. 1 ed. Ontario: Epilepsy Ontatio, 2017. Website acessado em abril 2022. Disponível em: https://epilepsyontario.org/wp-content/uploads/2018/02/SparkSeizureTypes_Eng.pdf

6Banerjee PN, Filippi D, Allen Hauser W. The descriptive epidemiology of epilepsy-a review. Epilepsy Res. 2009 Jul;85(1):31-45.

7 Mayo Clinic. Epilepsy. Website acessado em abril 2022. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/epilepsy/symptoms-causes/syc-20350093#:~:text=Abnormalities%20in%20the%20brain%2C%20including,Infections.

8World Health Organization. Epilepsy – Key Facts. Fact sheets. 2022. Website acessado em abril 2022. Disponível em: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/epilepsy

EPILEPSIA CATAMENIAL: DESCUBRA O QUE É, CAUSAS E SINTOMAS

Important safety information

Material destinado ao público geral. Abril/2022 - BRZ2232500.