Influenza: prevenir é a melhor opção

A vacinação é a estratégia mais importante para evitar novos surtos dessa doença.

Influenza: prevenir é a melhor opção
POR MAGALI BALLOTI

O surto de gripe – influenza –, que tomou conta dos Estados Unidos no inverno do hemisfério Norte1, é um alerta para os brasileiros visto que a estação mais fria do ano se aproxima por aqui. A gripe se espalha de forma ampla e rápida, e cerca de 41 milhões de pessoas contraem a doença todos os anos nos EUA, de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).2

De acordo com dados do CDC dos Estados Unidos, houve um aumento considerável no registro de casos de influenza confirmados, sendo o H3N2, um subtipo do vírus influenza A, batizado de Darwin, apontado como o vilão da temporada.3 E ele já está entre nós!

Diante desse cenário, países mundo afora, incluindo o Brasil, estão trabalhando em campanhas de vacinação para conter um grave surto de gripe.  Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a gripe é uma doença séria que pode evoluir para formas mais graves, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e levar ao óbito, especialmente entre os grupos de alto risco (veja quadro abaixo). Em todo o mundo, estima-se que estas epidemias anuais resultem em cerca de 3 a 5 milhões de casos de doença grave e de 290 mil a 650 mil mortes.4

São mais suscetíveis às complicações da gripe os portadores de:5

  • doenças respiratórias crônicas (asma, bronquite, enfisema etc.)
  • doenças neurológicas (epilepsia, acidente vascular cerebral etc.)
  • doenças cardíacas (cardiopatia congênita, doença arterial coronariana etc.)
  • doenças endócrinas (diabetes mellitus)
  • doenças renais
  • doenças do fígado

A gripe é uma das doenças virais mais frequentes em todo mundo, sendo causa de surtos e epidemias e até pandemias provocadas, predominantemente, pelos vírus Influenza A e Influenza B.6 “Diferentemente de um resfriado, causado por outros vírus, a Influenza é caracterizada por um início súbito dos sinais e sintomas (comparativo abaixo), entre eles febre; dor muscular, de cabeça e de garganta; coriza; calafrios e tremores; sudorese; perda de apetite, entre outros”, explica Lilian Sales, Médica Paliativista e Gerente Médica da Divisão de Farmacêuticos Estabelecidos da Abbott no Brasil. 

Influenza: prevenir é a melhor opção
Fonte: Secretaria da Saúde de Minas Gerais
RELATED ARTICLE
Testagem ainda é fundamental mesmo com o avanço da vacinação

Pessoas de todas as idades estão sujeitas a contrair a doença. No entanto, algumas apresentam o risco de desenvolver complicações graves e potencialmente fatais, como pneumonias virais ou bacterianas. Mesmo com letalidade menor que a Covid-19, o H3N2 tem mais chances de evoluir para casos graves em grupos de risco (crianças, idosos, gestantes e indivíduos com comorbidades). A propagação desse novo subtipo viral pode ter relação com a baixa cobertura vacinal contra a gripe e com a flexibilização das medidas de restrição e prevenção adotadas contra a Covid-19.7

A transmissão da doença ocorre basicamente por secreções da via respiratória no contato com uma pessoa doente ou por objetos tocados por ela.8 Por isso, é preciso que todos sejam vacinados, pois com a vacina se consegue a prevenção. Entretanto, você deve tomar alguns cuidados básicos que podem ajudar a afastar o perigo da gripe, tais como:9

  • Higienização das mãos, utilizando sabonete ou álcool acima de 70%
  • Evitar ambientes fechados e/ou aglomerados
  • Utilizar lenços descartáveis para higiene nasal
  • Cobrir a boca e nariz quando tossir ou espirrar
  • Evitar tocar as mucosas (nariz, boca e olhos)

Como funciona a vacina?

A vacina estimula o organismo a desenvolver sua própria proteção, os chamados anticorpos, contra o vírus causador da gripe, preparando-o para se caso a infecção ocorra, nosso corpo já tenha a capacidade de matar o vírus. Ou seja, ajuda na prevenção da doença.10

A vacina provoca gripe? Este é um mal-entendido com relação às reações da vacina. Mas esse é um mito que precisa cair por terra. Em sua fabricação, a vacina usa apenas um fragmento do vírus e tampouco o vírus vivo, portanto, não há como desenvolver a gripe ao ser vacinado.11 Caso ocorram sintomas, ou a pessoa já estava com o vírus incubado antes mesmo da vacinação ou a gripe foi causada por uma cepa do vírus não coberta pela vacina. Mas o que são cepas?

Cepa é o termo utilizado para se referir a uma nova mutação de um vírus.12 Por exemplo, o H1N1 é uma cepa do vírus da gripe Influenza A, assim como a H3N2. “É bom explicar que a vacina tetravalente é aquela que previne contra quatro tipos de vírus (duas cepas da gripe do vírus Influenza A e duas do vírus Influenza B)”, explica Lilian, complementando que, no final, as vacinas vão sendo atualizadas de acordo com as cepas determinadas pela OMS.

A OMS recomenda a vacinação anual contra a gripe para mulheres grávidas, crianças entre seis meses e cinco anos, maiores de 65 anos, doentes crônicos e profissionais de saúde, entre outros.

Como a vacina da gripe não confere imunidade permanente, o sistema imune vai perdendo gradualmente os anticorpos responsáveis pela defesa do organismo, havendo necessidade de doses de reforço anuais. Além disso, como o vírus está em constante mutação, no próximo ano o vírus circulante pode ser diferente daquele coberto pela vacina do ano anterior e a vacina não oferecerá proteção contra esse novo vírus.9 “O ideal é que todos sejam imunizados anualmente”, conclui Lilian.

Referências
1 Empresa Brasileira de Comunicação. Gripe se espalha durante primavera e surpreende pesquisadores. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2021-12/gripe-se-espalha-durante-primavera-e-surpreende-pesquisadores. Acesso em fevereiro/2022.
2 Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Frequently Asked Questions about Estimated Flu Burden. Disponível em: https://www.cdc.gov/flu/about/burden/faq.htm. Acesso em fevereiro/2022.
3 Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Increasing Flu Activity in Some States, Especially Among Young Adults. Disponível em: https://www.cdc.gov/flu/spotlights/2021-2022/flu-activity-increasing.htm. Acesso em fevereiro/2022.
4 Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira – IFF/Fiocruz. Influenza (gripe) – Sintomas e Prevenção. Disponível em: http://www.iff.fiocruz.br/index.php/8-noticias/812-influenza. Acesso em fevereiro/2022.
5 Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). People at Higher Risk of Flu Complications. Disponível em: https://www.cdc.gov/flu/highrisk/index.htm. Acesso em fevereiro/2022.
6 Almeida FL et al. Consenso para o tratamento e profilaxia da influenza (gripe) no Brasil. Disponível em: http://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/pdfs/conseso_influenza.pdf. Acesso em fevereiro/2022.
7 Biblioteca Virtual em Saúde - Ministério da Saúde. H3N2: novo vírus influenza em circulação no país. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/h3n2-novo-virus-influenza-em-circulacao-no-pais/. Acesso em fevereiro/2022.
8 Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). How Flu Spreads. Disponível em: https://www.cdc.gov/flu/about/disease/spread.htm#:~:text=Person%20to%20Person,be%20inhaled%20into%20the%20lungs. Acesso em fevereiro/2022.
9 Clínica Mayo. Flu shot: Your best bet for avoiding influenza. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/flu/in-depth/flu-shots/art-20048000. Acesso em fevereiro/2022.
10 Sociedade Brasileira de Imunizações. Vacinas – Apresentação. Disponível em: https://familia.sbim.org.br/vacinas. Acesso em fevereiro/2022.
11 Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. Blog da Saúde. A vacina contra a Gripe pode matar? Disponível em:  http://blog.saude.mg.gov.br/2018/05/23/curiosidade-a-vacina-contra-a-gripe-pode-matar/. Acesso em fevereiro/2022.
12 FIOCRUZ. O que são mutações, linhagens, cepas e variantes? Disponível em: https://agencia.fiocruz.br/o-que-sao-mutacoes-linhagens-cepas-e-variantes. Acesso em fevereiro/2022.