Coma melhor, respire melhor

NO IMAGE

Uma alimentação adequada pode ajudar a aliviar problemas respiratórios
e melhorar a saúde de seus pulmões.

Quem não tem problemas respiratórios, nem pensa nas 25.000 respirações realizadas todos os dias. Mas para os milhões de pessoas que sofrem com problemas pulmonares é outra história. A boa notícia é que com alimentação adequada e intervenções nutricionais terapêuticas, pessoas com determinadas doenças e condições respiratórias, como a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), podem respirar mais facilmente.

A DPOC é uma doença pulmonar progressiva que torna a respiração difícil devido à obstrução parcial do fluxo de ar que entra e sai dos pulmões. Isso exige um esforço do organismo, podendo enfraquecer os músculos e aumentar o risco de inflamação pulmonar. “Nesse sentido, uma alimentação adequada pode ajudar a fortalecer os músculos, reduzir inflamações, diminuir o acúmulo de dióxido de carbono e melhorar a respiração”, afirma Patricia Ruffo, nutricionista e Gerente Científico do negócio Nutricional da Abbott no Brasil.

Por meio de estudos e pesquisas globais, especialistas descobriram uma forte ligação entre alimentação e saúde pulmonar. Uma pesquisa patrocinada pela Abbott1 revelou que pacientes hospitalizados com DPOC que tomavam suplementos alimentares precisaram passar menos dias no hospital, ficando menos propensos a serem internados novamente após a alta do que aqueles que não tomavam suplementos.

Pessoas com problemas respiratórios devem conversar com algum médico especialista sobre a inclusão de nutrientes na dieta, entre eles:

  • Antioxidantes: nutrientes que combatem os radicais livres ‒ como a vitamina C, encontrados em alimentos como frutas cítricas e verduras verde-escuras ‒ estão ligados a uma menor prevalência de asma e são benéficos para a saúde pulmonar. Isso ocorre porque os antioxidantes ajudam a proteger o organismo do estresse oxidativo, um desequilíbrio químico no organismo que pode levar ao dano tecidual.
  • Proteína: encontrada em alimentos como peixe, aves, leite, ovos, queijos, castanhas, leguminosas secas e vagem, a proteína ajuda o corpo a manter os músculos respiratórios fortes.
  • Vitamina D: encontrada no leite fortificado, em peixes de água mais fria e gemas de ovo, tem sido relacionada a um risco reduzido de exacerbações, ou crises de DPOC moderada ou grave, que tornam a respiração mais difícil.

“Fazer pequenos ajustes na alimentação diária ‒ como ingerir mais frutas cítricas, legumes e carnes magras ‒ pode ser suficiente quando se trata da saúde de seus pulmões e de todo o  corpo”, recomenda Patrícia.

Referência:

1Effect of hospital use of oral nutritional supplementation on length of stay, hospital cost, and 30-day readmissions among Medicare patients with COPD. Snider JT, Jena AB, Linthicum MT, Hegazi RA, Partridge JS, LaVallee C, Lakdawalla DN, Wischmeyer PE. Site. [Accessed in July. 2016]. Available in http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25357165