A ingestão de nutrientes na adolescência influencia a maternidade futura

NO IMAGE

Conheça a dieta que a Federação Internacional de Ginecologia recomenda para meninas e mulheres

Na gestação é comum ouvir que as grávidas estão comendo por dois. O que muitos não sabem é que a alimentação de uma mulher décadas antes de engravidar também pode afetar o futuro de seu bebê.

Novas recomendações publicadas1 no International Journal of Gynecology & Obstetrics conhecidas como “Pense Primeiro na Alimentação”, reiteram que as escolhas nutricionais feitas aos 10 anos de idade têm um enorme impacto sobre a capacidade de uma mulher engravidar com segurança e saúde na idade adulta.

Tais recomendações foram feitas pela Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO), a maior associação de profissionais de saúde materna do mundo, em parceria com a Divisão Nutricional da Abbott.

“É importante manter bons hábitos de saúde desde cedo, com uma dieta equilibrada e variada, pois a má alimentação pode trazer não apenas prejuízos imediatos, mas também riscos futuros, principalmente para a saúde reprodutiva das mulheres”, afirma Patrícia Ruffo, nutricionista e Gerente Científico da Divisão Nutricional da Abbott no Brasil.

Em muitas sociedades, mulheres e adolescentes têm uma nutrição inadequada em relação ao equilíbrio entre macro (proteínas, carboidratos e gorduras) e micronutrientes (vitaminas e minerais) de sua dieta. “Essa deficiência é prejudicial à saúde, das mulheres e de seus futuros filhos. Por isso, boa saúde e nutrição adequada antes da gravidez são fundamentais para que as futuras mães possam suprir as demandas da gravidez e da amamentação,” salienta Patrícia.

Nutrientes essenciais

As recomendações contidas no “Pense Primeiro na Alimentação” ressaltam a introdução de seis nutrientes fundamentais à alimentação feminina:

1. Ferro

Particularmente importante para adolescentes e mulheres grávidas, ajuda a compensar o que é perdido durante a menstruação, além de ser a maior demanda de nutriente durante a gravidez. Pode ser encontrado em carnes vermelhas, fígado, castanhas, leguminosas, verduras verde-escuras. No caso do ferro de origem vegetal, sua absorção é melhor quando consumido com alimentos que são fonte de vitamina C.

2. Iodo

Fundamental durante os primeiros dias da gravidez, geralmente não está presente em dietas que não incluem sal iodado. É encontrado em algas marinhas, frutos do mar e sal iodado.

3. Ácido fólico

Recomenda-se que todas as mulheres em idade reprodutiva consumam 400 ug/dia desse nutriente na forma de suplementos, ou por meio de alimentos fortificados. O ácido fólico também pode ser encontrado em verduras verde-escuras, como espinafre, couve e alface romana.

4. Vitamina B12

Naturalmente encontrada em produtos de origem animal, em geral esse importante nutriente é difícil de ser ingerido em quantidade suficiente, sobretudo por vegetarianos e veganos. Veganos podem garantir a ingestão adequada do nutriente escolhendo leites vegetais com vitamina B12 e cereais matinais fortificados.

5. Cálcio

Se meninas e mulheres não consumirem laticínios suficientes, existe a probabilidade de que estejam ingerindo uma quantidade inadequada de cálcio. Uma ingestão maior é particularmente importante para adolescentes durante a fase conhecida como “estirão de crescimento”. O cálcio é encontrado em laticínios, peixe enlatado com seus ossos, tofu e leguminosas.

6. Vitamina D

Os alimentos geralmente são pobres em vitamina D, a menos que sejam fortificados com esse nutriente. A maior parte da nossa vitamina D é gerada pelo nosso organismo quando a pele é exposta à luz solar, embora esse processo seja menos eficiente em pessoas com pele com pigmentação escura. No entanto, alguns alimentos são naturalmente ricos em vitamina D, como os óleos de peixe, peixes gordos, cogumelos e gema de ovo.

A publicação “Pense Primeiro na Alimentação” é uma iniciativa que busca garantir saúde, produtividade, expectativa de vida e bem-estar para as gerações futuras.

Referências:

1. The International Federation of Gynecology and Obstetrics (FIGO) recommendations on adolescent, preconception, and maternal nutrition: “Think Nutrition First”. Hanson M;  Bardsley A; De-Regil L.M; Moore S; Oken E; Poston L; Ronald C. Ma; McAuliffe F;  Maleta K; Purandare C; Yajnik C; Rushwan H; Morris J. Australia. 2015. http://www.ijgo.org/article/S0020-7292(15)30034-5/abstract

2.Taken from The International Federation of Gynecology and Obstetrics (FIGO) Recommendations on Adolescent, Preconception, and Maternal Nutrition: "Think Nutrition First." Int J Gynecol Obstet 2015;131(Suppl 4):S213-254.