Preste atenção aos sinais de diabetes

NO IMAGE
Cuidados para Diabetes | Nov. 23, 2021
ATUALIZADO POR MAGALI BALLOTI

 Identificar os fatores de risco é essencial para a prevenção 

Costuma-se dizer que o diabetes é uma doença silenciosa. Isso ocorre pois, pode não apresentar sintomas claros no início. Por isso, é importante estar atento aos sinais do diabetes e também identificar seus fatores de risco. Para isso, é essencial manter uma rotina de checkups e visitas ao seu médico para, ao menor sinal de alteração, tomar as medidas necessárias.

Um desses fatores de risco é o pré-diabetes, diagnosticado quando os níveis de glicose no sangue são superiores ao normal, mas não tão altos para ter o diagnóstico da doença. Isso quer dizer que a pessoa ainda não tem diabetes, mas tem grandes chances de desenvolver a doença. É muito simples realizar esse teste: com duas ou três gotas de sangue já é possível saber se há alguma alteração na taxa de glicemia. Caso a alteração seja considerável, será necessária a realização de outros exames, mais aprofundados.

Seja qual for o caso, a adoção de um estilo de vida saudável, incluindo uma alimentação equilibrada e a prática de atividade física regular, é fundamentais na prevenção do diabetes tipo 2, o mais comum, que responde por cerca de 90% dos casos, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD).1 Além disso, o controle da glicemia, da pressão arterial e do colesterol melhoram drasticamente a saúde como um todo.

O risco do diabetes aumenta substancialmente com a idade. Entretanto, no início da doença, a maioria das pessoas não tem os sintomas clássicos: aumento da sede, da fome e da vontade de urinar; cansaço; visão embaçada; formigamento nos pés ou nas mãos; feridas que não curam e perda de peso sem motivo.2 Por isso, o exame periódico deve ser considerado em pessoas assintomáticas com mais de 45 anos, adultos de qualquer idade que tenham excesso de peso ou obesidade e apresentem um ou mais fatores de risco adicionais.

De acordo com a SBD, é preciso ficar atento aos sinais de diabetes e, em alguns casos, procurar seu médico para realizar um exame específico. Veja abaixo alguns exemplos de quando é indicado buscar ajuda profissional.

Fatores de risco para diabetes

  • Diagnóstico de pré-diabetes: diminuição da tolerância à glicose ou glicose de jejum alterada;
  • Pressão alta;
  • O colesterol está alto ou a taxa de triglicérides no sangue apresenta alterações;
  • Estar acima do peso, principalmente se o volume maior estiver concentrado ao redor da cintura;
  • Um dos pais ou irmãos tem diabetes;
  • Alguma outra condição de saúde que pode estar associada ao diabetes, como doença renal crônica;
  • Teve bebê com peso superior a quatro quilos ou teve diabetes gestacional;
  • Síndrome de ovários policísticos;
  • Diagnóstico de alguns distúrbios psiquiátricos, como esquizofrenia, depressão, transtorno bipolar;
  • Apneia do sono;
  • Recebeu prescrição de medicamentos da classe dos glicocorticoides. Também chamados de corticoides, fazem parte da formulação de remédios usados no tratamento de inflamações, alergias e algumas doenças de origem imunológica.

No Brasil e no mundo

Segundo a Federação Internacional de Diabetes (FDI), em 2019 existiam 463 milhões de adultos com diabetes no mundo3 A IDF estima que haverá 578 milhões de adultos com diabetes em 2030 e 700 milhões em 2045. e a previsão é de que esse número chegue a 578 milhões até 2030, e 700 milhões em 2045. No Brasil, são mais de 16,5 milhões de pessoas e metade desse total desconhece o diagnóstico, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes. Ou seja, um em cada 9 brasileiros com idade entre 20 e 79 anos tem diabetes, sendo que cerca de 40% não sabem que possuem a doença, pois ainda não foram diagnosticados.

A doença tem um enorme impacto humano, social e econômico. Dados revelam que pelo menos 760 milhões de dólares foram gastos com diabetes em 2019.5 O diabetes é uma das principais causas de cegueira, insuficiência renal, amputações e doenças cardiovasculares, e também aumenta o risco de câncer e de demência, além de aumentar em mais do que o dobro os custos individuais de cuidados com a saúde.

Referências:

1Sociedade Brasileira de Diabetes. Website acessado em novembro 2021. Diabetes/Tipo 2

2Sociedade Brasileira de Diabetes. Website acessado em novembro 2021. Diabetes/Diagnóstico e Tratamento

3Federação Internacional de Diabetes/Diabetes atlas org. Website acessado em novembro 2021. IDF Diabetes Atlas

4Agência Brasil. Website acessado em novembro 2021. Notícias Dia Mundial do Diabetes (14/11/2020)